Acesse o Portal  do Ministério da Saúde
Acesse o Portal do Governo Brasileiro
 
Fale Conosco
Mapa do Site
Sites de Interesse
Perguntas Freqüentes
Escolha seu Perfil
Espaço Cidadão Profissional de Saúde Setor Regulado
DestaquesCadastre-se nos Boletins Eletrônicos da Anvisa
Em Questão - O Governo Informa (site da Presidência da República)
Licitação
 

 

Anvisa Divulga - Informes em Saúde


Brasília, 6 de julho de 2001
Anvisa recomenda vacina para quem viaja a regiões com epidemias
Fonte: Agência Saúde



As férias de julho aumentam o fluxo de pessoas nos portos, aeroportos, rodoviárias e fronteiras do país. A Anvisa recomenda aos viajantes que
verifiquem a situação epidemiológica do local de destino e mantenham as suas carteiras de vacinação em dia. Essas medidas simples vão impedir que alguma doença atrapalhe as férias e evitar problemas com autoridades de fronteira.

A principal preocupação da Anvisa é evitar a propagação e manter o
controle sanitário de doenças infecto-contagiosas, como febre amarela,
malária, peste, dengue, poliomielite e cólera. "A vacinação é fundamental
principalmente para as pessoas que viajam acompanhadas de crianças", destaca o gerente-geral de Portos, Aeroportos e Fronteiras, Daniel Lins Menucci.

No caso da febre amarela, a dose da anti-amarílica deve ser tomada
10 dias antes de viajar, que é o tempo necessário para o sistema imunológico da pessoa estar preparado para reagir ao vírus que causa a doença. A vacina é válida por dez anos. Para quem vai viajar para as regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste e países da América do Sul e África, a dose contra febre amarela é indispensável.

Até mesmo para a pólio, erradicada no Brasil, deve haver um cuidado
especial, pois ainda existem casos em alguns países da África. Por isso, é
importante tomar a vacina contra a doença antes de viajar para esse
continente, além de evitar o retorno da doença ao país. Já a malária deve
ser prevenida pelo uso de repelentes, calça, camisa de manga comprida e
sapatos fechados. Isso porque ainda não existe vacina contra a doença que se concentra na região Norte do Brasil e países fronteiriços.

Para aqueles passageiros que levam medicamentos em suas bagagens, é
necessário carregar o receituário se possível em inglês quando se tratar de
viagens internacionais. As vigilâncias dos aeroportos realizam um controle
de entrada desses produtos. Deve-se evitar o transporte de alimentos,
principalmente "in natura", pois doenças, como o cólera são transmitidas
pela ingestão desses produtos contaminados.

Qualquer denúncia e informações adicionais a respeito das condições
sanitárias do local de destino podem ser obtidas nos postos das vigilâncias
sanitárias presentes nos principais aeroportos internacionais do Brasil.
Dados sobre a situação das doenças no país e no mundo e ainda o endereço dos postos de vacinação dos aeroportos brasileiros podem ser na seção de Portos.

Mais informações
Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
E-mail: imprensa@anvisa.gov.br

 
Endereços Importantes
  Voltar Subir Imprimir  
Copyright 2003 - Anvisa