Módulo 1
Introdução
Propriedades
  Farmacocinética
Tratamento
Comunitárias
Antimicrobianos - Base Teóricas e Uso Clínico

III. Tratamento das infecções comunitárias e relacionadas à assistência à saúde diante da resistência microbiana

1. Comunitárias - infecções adquiridas na comunidade
1.4.
Cavidade oral – principais infecções e diagnósticos diferenciais

B - Lesões brancas

Candidíase oral
Infecção fúngica causada pela Candida albicans. Manifesta-se por lesões  brancas e placas na língua, gengiva, lábios e mucosa oral. Quando esta placa é removida, evidencia-se uma superfície cruenta, sangrante e dolorida. Encontrada freqüentemente, sob prótese dentária. Pacientes imunocomprometidos, com AIDS ou neoplasia, usuários de corticosteróides inalatórios apresentam um aumento acentuado de candidíase.
O diagnóstico da candidíase mucocutânea está baseado no aspecto e localização da lesão podendo ser realizada biópsia para análise anatomopatológica. Diante do achado da candidíase oral, recomenda-se uma investigação clínica mais detalhada para descartar doenças sistêmicas e até mesmo candidíase disseminada.
Diagnóstico diferencial deve ser feito com líquen plano, leucoplaquia pilosa e neoplasias.

Tratamento da candidíase oral
Na candidíase mucocutânea  a droga de escolha é a nistatina tópica. Algumas vezes é necessária a utilização de antifúngico sistêmico (opções: fluconazol ou itraconazol).

C - Abscessos odontogênicos

A maioria das coleções purulentas de origem odontogênica são brandas e provocadas
por microrganismos colonizadores da cavidade bucal.
Deve-se sempre observar em pacientes com abscesso próximo à cavidade oral: o tempo de evolução do mesmo, sinais de toxicidade sistêmica, trismo, dificuldade respiratória e de deglutição.

Tratamento dos abscessos odontogênicos
O tratamento consiste de três princípios básicos: drenagem, antibioticoterapia e remoção da causa.
A drenagem é o tratamento primordial dos abscessos, com objetivo de prevenir a disseminação da coleção purulenta e permitir melhores condições de reparo tecidual.
Em geral, a escolha do antimicrobiano é empírica, dirigida para os microrganismos da flora oral (aeróbios, principalmente os estreptococos, e anaeróbios) sendo raros os casos onde têm-se que realizar o antibiograma.
As drogas de primeira escolha são clindamicina (crianças: 30 mg/kg/dia e adultos: 1800 a 2400 mg/dia, por via oral, divididos em três ou quatro doses ou amoxicilina - clavulanato (crianças: 45 a 90 mg de amoxicilina/kg/dia e adultos: 1,5 g de amoxicilina/dia, divididos em três doses) que apresentam boa cobertura contra os agentes citados acima.
« voltar 1 | 2 | 3 | 4 » seguir
                                      ATMracional, 2008