Módulo 1
Introdução
Propriedades
  Farmacocinética
Tratamento
Comunitárias
Antimicrobianos - Base Teóricas e Uso Clínico

III. Tratamento das infecções comunitárias e relacionadas à assistência à saúde diante da resistência microbiana

1. Comunitárias - infecções adquiridas na comunidade
1.6.
Endocardite

Endocardite infecciosa
O termo endocardite infecciosa refere-se à infecção na superfície endocárdica. Também são consideradas endocardites as infecções em "shunts" anteriovenosos e arterioarteriais, coarctação da aorta e infecções de cabos de marca-passo e valvas protéticas.
A apresentação clínica varia de acordo com o agente causal que está relacionado a fatores epidemiológicos específicos.

Etiologia

Estreptococos: é o agente mais freqüentemente encontrado. A maioria é causada pelo grupo Viridans (S. mitis, S. salivarius, S. bovis, S. mutans) e a minoria por S. pneumoniae e S. pyogenes. O quadro clínico tem evolução subaguda, acometendo, em geral, valvas com lesão preexistente. Nas endocardites por S. bovis, há associação com diversas patologias de cólon, sendo recomendada avaliação colonoscópia como parte da rotina diagnóstica.

Enterococos: infecções por E. faecalis e E. faecium apresentam evolução subaguda e têm maior dificuldade de erradicação em relação aos estreptococos por necessitarem da associação de antimicrobianos. Embora menos freqüente em relação às endocardites por S. bovis, há correlação com presença de doença gastrintestinal.

Estafilococos: são os agentes que causam a maioria dos casos de endocardite em usuários de drogas endovenosas (S. aureus) e em próteses valvares (S. epidermides e outros Staphylococcus coagulase negativa). Têm evolução aguda com fenômenos embólicos freqüentes e evoluem com maior grau de lesão valvar, muitas vezes requerendo tratamento cirúrgico.

Bactérias gram-negativas: com exceção de endocardites causadas por Salmonella, que ocorrem em geral, em pacientes com lesão valvar preexistente e por Neisseria gonorrhoeae, a maioria das infecções por bactérias Gram-negativas são endocardites relacionadas à assistência à saúde, geralmente em valvas protéticas. O prognóstico nessas endocardites é ruim e geralmente há necessidade de tratamento cirúrgico.

Outros agentes
Fungos, principalmente Candida spp., podem ser encontrados em usuários de drogas endovenosas e de pacientes internados com fatores de risco definidos. Em geral são endocardites com vegetações de grande diâmetro e possuem um prognóstico ruim. Agentes do grupo HACEK (Haemophilus spp., Actinobacillus spp., Cardiobacterium hominis, Eikenella spp. e Kingella spp.) são Gram-negativos que crescem em meio de cultura seletivo e de maneira fastidiosa, sendo responsáveis por menos de 5% das endocardites. Corynebacterium não-dipheteriae predominam em usuários de drogas e em portadores de próteses.

« voltar 1 | 2 | 3 | 4 | 5 » seguir
                                      ATMracional, 2008