Módulo 1
Introdução
Propriedades
  Farmacocinética
Tratamento
Comunitárias
Antimicrobianos - Base Teóricas e Uso Clínico

III. Tratamento das infecções comunitárias e relacionadas à assistência à saúde diante da resistência microbiana

1. Comunitárias - infecções adquiridas na comunidade
1.7.
Meningites bacterianas agudas

Meningite bacteriana aguda (MBA) é uma doença inflamatória secundária à invasão do sistema nervoso central (SCN) por bactérias, envolvendo a pia-máter, a aracnóide, o espaço subaracnóide e os ventrículos cerebrais.

Indivíduos de todas as faixas etárias podem adquirir esta infecção por diferentes vias, sendo as principais:

Via direta:
  • fraturas de crânio;
  • fístula liquórica após procedimento cirúrgico;
  • defeitos congênitos de fechamento do tubo neural (espinha bífida, meningocele, meningomielocele, meningo-encefalocele);
  • infecção secundária à punção liquórica realizada de maneira não asséptica.
Contigüidade:
  • secundária a otite média, mastoidite, sinusite.

Hematogênica:
  • secundária a outro sítio infeccioso, atingindo o SNC pela corrente sangüínea. Via freqüente de infecção por meningococo e pneumococo.
Próteses de SNC:
  • catéteres de derivação ventricular (externa ou peritoneal);
  • fixadores de coluna.

Fatores relacionados ao hospedeiro também podem predispor às MBA, como: asplenia, deficiência do complemento, uso crônico de corticóide e infecção pelo HIV.

Entre neonatos com sepse precoce, 5 a 10% apresentam meningite concomitante e entre os principais fatores de risco para esta associação destaca-se baixo peso ao nascer (< 2500 g), rotura prematura de membranas, parto traumático, hipóxia fetal e infecção materna periparto.

Para MBA relacionada à assistência à saúde os principais fatores de risco de aquisição são os procedimentos neurocirúrgicos, punção liquórica com agulha contaminada e a presença de dispositivos invasivos, como derivação ventricular.

« voltar 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 » seguir
                                      ATMracional, 2008