Módulo 1
Introdução
Propriedades
  Farmacocinética
Tratamento
Comunitárias
Antimicrobianos - Base Teóricas e Uso Clínico

III. Tratamento das infecções comunitárias e relacionadas à assistência à saúde diante da resistência microbiana

2. Ambiente hospitalar - infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) - infecções hospitalares
2.2. Pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV)

Entre as infecções hospitalares, a pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV) merece destaque por estar relacionada à alta mortalidade. Independente da opção terapêutica utilizada, o tratamento para PAV deve ser introduzido o mais precocemente possível. O tempo de ventilação mecânica e o uso prévio de antimicrobianos são os principais parâmetros epidemiológicos a serem considerados para avaliar o risco de agentes com resistência adquirida.

Pacientes com mais de cinco a sete dias de ventilação mecânica e uso prévio de antimicrobianos de amplo espectro são propensos a infecções por agentes multirresistentes, em geral, S. aureus resistente à oxacilina (MRSA), Gram-negativos não-fermentadores (Pseudomonas aeruginosa e Acinetobacter spp.) e Gram-negativos produtores de β-lactamases de amplo espectro (Klebsiella pneumoniae).

Esses pacientes devem receber antimicrobianos de espectro ampliado. Embora não se tenha um consenso sobre o tempo ideal para a duração do tratamento, mais recentemente há uma tendência para redução do tempo de tratamento, raramente devendo ultrapassar 14 dias para bacilos Gram-negativos não-fermentadores (P. aeruginosa e Acinetobacter spp.) e 8 dias para os demais patógenos.
O uso de antimicrobiano contra Gram-positivos resistentes para terapia de PAV deve ser considerado quando o paciente for colonizado por MRSA, houver fator de risco para tal (Quadro 12), ou na suspeita de transmissão cruzada na unidade de internação onde o paciente desenvolveu a infecção.

Você pode acessar as diretrizes brasileiras para tratamento das pneumonias adquiridas no hospital e das associadas à ventilação mecânica – 2007 do Jornal Brasileiro de Pneumonia clicando aqui ou da Sociedade Paulista de Infectologia clicando aqui.

 

 

« voltar 1 » seguir para Corrente sanguínea
                                      ATMracional, 2008