Módulo 1
Introdução
Propriedades
  Farmacocinética
Tratamento
Comunitárias
Antimicrobianos - Base Teóricas e Uso Clínico

III. Tratamento das infecções comunitárias e relacionadas à assistência à saúde diante da resistência microbiana

1. Comunitárias - infecções adquiridas na comunidade
1.3. Trato urinário


Incidência

Na infância, as infecções do trato urinário (ITUs) podem ser encontradas em qualquer idade, podendo ter início no período neonatal. A incidência de infecções do trato urinário em lactantes, até seis meses, é de 2 casos por 1.000 nascidos vivos. Muitas vezes ocorrem bacteremias. Durante o período pré-escolar as infecções do trato urinário são mais comuns no sexo feminino. Quando ocorre em meninos, habitualmente está associada a anomalias congênitas. As ITUs na infância, principalmente nas meninas, comumente são assintomáticas e podem ser recidivantes.

Na idade adulta, a prevalência de bacteriúria aumenta na população feminina. A prevalência de ITUs em mulheres jovens não grávidas é de aproximadamente 1 a 3%. Estima-se que cerca de 10 a 20% da população feminina apresenta, pelo menos, uma ITU em algum momento da vida. A relação sexual e o uso de diafragma são fatores de risco para ITU.

Quadro clínico
A infecção do trato urinário pode afetar apenas o trato urinário inferior ou o trato urinário superior, comprometendo um dos rins. O termo cistite tem sido utilizado para descrever uma síndrome que compreende: disúria, polaciúria, dificuldade de micção e, ocasionalmente, dor à palpação da região suprapúbica. Entretanto, estes sintomas também podem estar associados à inflamação do trato urinário inferior, produzidos por uretrites, como a gonorréia ou a infecção por clamídias. A pielonefrite aguda é uma síndrome clínica que envolve o rim, caracterizada por dor e/ou sensibilidade à palpação no flanco, febre e freqüentemente bacteriúria, sendo que, por vezes, ocorre disúria, polaciúria, dificuldade à micção e elevação das proteínas de fase aguda. Entretanto, 10 a 20% das infecções do trato urinário não podem ser classificadas como inferiores ou superiores.

Bacteriúria assintomática
A bacteriúria assintomática é freqüentemente identificada em exames de triagem, pois não é acompanhada da sintomatologia comum à cistite ou à pielonefrite. A definição de bacteriúria assintomática para homens sem uso de cateter vesical corresponde ao isolamento bacteriano quantitativo em uma única amostra de urina, colhida de forma adequada, de ≥ 105 UFC/mL. No caso de uso de cateter vesical, o isolamento em uma única amostra valores ≥ 102 UFC/mL define bacteriúria assintomática. Para mulheres, são necessárias duas amostras de urina com isolamento bacteriano ≥ 105 UFC/mL.

« voltar 1 | 2 | 3 | 4 | 5 » seguir
                                      ATMracional, 2008