Módulo 1
Introdução
Propriedades
  Farmacocinética
Tratamento
Comunitárias
Antimicrobianos - Base Teóricas e Uso Clínico

III. Tratamento das infecções comunitárias e relacionadas à assistência à saúde diante da resistência microbiana

1. Comunitárias - infecções adquiridas na comunidade
1.1. Trato respiratório

Pacientes que precisam ser hospitalizados em unidade de terapia intensiva
Esquema antimicrobiano preferido:
Cefalosporina de terceira (ceftriaxona) ou quarta geração (cefepima) mais claritromicina ou azitromicina.

Alternativa:
Fluoroquinolona intravenosa (levofloxacina ou moxifloxacina).

Observações:

  • ceftazidima não é recomendada devido a sua baixa atividade contra bactérias gram-positivas, especialmente S. pneumoniae e S. aureus, quando comparado a outras cefalosporinas, como ceftriaxona e cefepima;
  • a experiência clínica com o uso isolado de fluoroquinolonas, com atividade contra pneumococo, no tratamento de pneumonia grave, em unidade de terapia intensiva, ainda é limitada;
  • rifampicina pode ser associada, quando existe suspeita de pneumonia por Legionella;
  • oxacilina pode substituir qualquer regime, quando pneumonia por S. aureus sensível a oxacilina é diagnosticado. Porém, esquemas com cefalosporina de quarta geração ou fluoroquinolona também apresentam boa atividade contra este patógeno;
  • vancomicina ou teicoplanina deve ser associado quando há suspeita de S. aureus resistente à oxacilina. Outra opção é a linezolida;
  • cefalosporina de quarta geração e/ou ciprofloxacina e/ou aminoglicosídeo pode ser associado quando há suspeita de pneumonia por P. aeruginosa.
« voltar 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 » seguir
                                      ATMracional, 2008