III - Fenótipos - detecção fenotípica dos principais mecanismos de resistência bacteriana

4. Gram-negativos

SUGESTÕES DE COMO DETECTAR FENOTIPICAMENTE A PRODUÇÃO DE CARBAPENEMASES

Teste de Hodge modificado

Preparar um inóculo da cepa E. coli ATCC 25922 correspondente a 0,5 da escala de McFarland, por meio do método de crescimento ou da suspensão direta da colônia. Alguns autores recomendam a diluição deste inóculo na proporção 1:10. Fazer o TSA por disco-difusão semeando a cepa de E. coli ATCC 25922 em uma placa de ágar Müeller-Hinton e colocar no centro da placa um disco de imipenem ou ertapenem de 10 µg.

Com auxílio de uma alça, estriar a amostra teste do centro do disco de β-lactâmico até a periferia da placa de Petri, com o cuidado para não tocar o disco de β-lactâmico. Semear da mesma maneira a cepa de K. pneumoniae ATCC 700603 como controle negativo, como ilustrado na Figura 21. Após incubação à temperatura de 35±2ºC, em ar ambiente, por 16 a 18 horas, observar o crescimento da E. coli ATCC 25922 no halo de inibição do imipenem (distorção do halo de inibição). A amostra de E. coli ATCC 25922 é sensível ao imipenem, e este crescimento só foi possível porque a amostra teste produziu uma enzima que foi capaz de inativar o imipenem. Notar que não houve distorção do halo, quando a amostra de K. pneumoniae ATCC 700603 foi semada.

Notar a distorção do halo de inibição, que é indicativa da produção de carbapenemase pela amostra de K. pneumoniae testada, pelo método de disco-difusão.

Figura 21 - Teste de Hodge modificado

anterior
1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11

© Copyright 2008, MC boas práticas. Todos os direitos reservados