V - Teste de sensibilidade aos antimicrobianos (TSA)

2. Freqüência dos Testes

Para estabelecer inicialmente o controle de qualidade periódica no laboratório, seguir os passos:

  • ANVISA: Fazer os testes por cinco dias consecutivos. Se nesse período não for identificado nenhum resultado fora do intervalo (para cada combinação droga X microrganismo), passar para controle no mínimo mensal (se possível semanal ou quinzenal, se a realidade do laboratório permitir). Se ocorrer um resultado fora do intervalo, o teste deve ser repetido por até dez dias consecutivos (somente um em dez poderá estar fora). Caso ultrapasse este número, seguir protocolo do CLSI;



  • CLSI: Fazer os testes por 20 dias consecutivos. Somente uma inadequação é aceitável para cada combinação droga X microrganismo.
    Se mais de um resultado fora do intervalo: continuar os testes até completar 30 dias. É aceitável até três em 30 testes fora do controle (para cada combinação droga X microrganismo). Se os testes estiverem dentro da normalidade, passar para controle semanal. Manter os registros e a análise crítica deste processo inicial no laboratório.

Testes de ágar “screening” (triagem de diluição em ágar para resistência à vancomicina ou oxacilina 6 ug/mL): Testar as respectivas cepas ATCC diariamente ou a cada prova em paralelo com a cepa teste.

Etest® : testar as fitas com as cepas ATCC indicadas a cada novo lote de fitas ou em paralelo com a cepa teste e toda vez em que houver necessidade de se comprovar a acurácia do método.

anterior
1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8

© Copyright 2008, MC boas práticas. Todos os direitos reservados